Sinfônica Pop e Concertos no Parque

.

Com a proposta de celebrar a diversidade musical dos artistas mineiros, a Fundação Clóvis Salgado realiza mais uma edição da já consagrada série Sinfônica Pop. Em agosto, a Orquestra Sinfônica de Minas Gerais recebe os músicos Rafael Martini e Sérgio Santos para uma apresentação especial, que coloca em evidência a rica produção cultural do estado. Sob regência do maestro convidado Marcelo Ramos, e participação especial do Coral Lírico de Minas Gerais, a edição especial do Sinfônica Pop integra a programação do Savassi Festival.

9 de agosto, sexta

Sinfônica Pop
Orquestra Sinfônica de Minas Gerais e Coral Lírico de Minas Gerais
Regência: Marcelo Ramos
20h30-21h15 | Sérgio Santos: premiére da obra “Valsa Para Parar O Tempo”, e das obras “Metamorfose” e “Camiranga” (da suíte “Poemágica”) e “Lamento Do Pajé” e “Alto Xingu” (da suíte “Yvyraty”)
21h30-22h15 | Rafael Martini: "Suíte Onírica"
Grande Teatro do Palácio das Artes
Ingressos: R$25,00 (inteira) e R$12,50 (meia)
Compre aqui seu ingresso!

11 de agosto, domingo

Concertos no Parque
Orquestra Sinfônica de Minas Gerais e Coral Lírico de Minas Gerais
Regência: Marcelo Ramos
10h30-11h15 | Sérgio Santos: premiére da obra “Valsa Para Parar O Tempo”, e das obras “Metamorfose” e
“Camiranga” (da suíte “Poemágica”) e “Lamento Do Pajé” e “Alto Xingu” (da suíte “Yvyraty”)
11h30-12h15 | Rafael Martini: "Suíte Onírica"
Parque Municipal Américo Rennée Giannetti
Atividade gratuita



O compositor Sergio Santos é vinculado profundamente à canção popular, com trajetória que nessa área já lhe rendeu uma indicação ao Grammy. Esta será a primeira vez em que suas composições concebidas para a linguagem de orquestra serão apresentadas. Não se trata de arranjos orquestrais de suas canções, mas de obras que, ainda que em sua maioria incluam a canção, foram originalmente criadas para a formação de orquestra. 

“Valsa Para Parar o Tempo” é uma peça que tem o clarinete como solista, apoiado pelo movimento do piano, da harpa e principalmente das cordas. 

A suite “Poemágica” é um desenvolvimento orquestral originado em 6 pequenas canções criadas sobre poemas de Paulo César Pinheiro, poemas esses que são experimentações peculiares sobre a palavra. Dessa suite Sergio escolheu “Metamorfose” e “Camiranga”, ambas tendo a característica de ter o discurso da orquestra evoluindo até chegar uma pequena canção, e indo a partir dela se diluindo até o seu final. O compositor cantará as duas peças. 

Já a suite “Yvyraty” é composta de 10 canções, todas também com texto de Paulo César Pinheiro, e que versam sobre a floresta amazônica e a cultura indígena. Dela Sergio escolheu duas obras, “Lamento do Pajé” e “Alto Xingu”, que também terão a sua voz como solista.



Rafael Martini é compositor, arranjador, pianista e cantor e tem quatro discos lançados. Os mais recentes são “Suíte Onírica” (2017) gravado pelo Rafael Martini Sexteto e a Orquestra Sinfônica da Venezuela e “Haru” (2017), em duo com Alexandre Andrés. Lançou ainda os álbuns “Gesto” (2016), em parceria com Joana Queiroz e Bernardo Ramos sob encomenda da gravadora japonesa Spiral Records, e “Motivo” (2012), disco ganhador do prêmio Marco Antônio Araújo de melhor disco instrumental do ano.

Como compositor foi vencedor do BDMG Instrumental três vezes, dos prêmios de primeiro lugar e melhor arranjo do I Guarulhos Instrumental e finalista do prêmio IBEU de composição para Big Band. Como arranjador e instrumentista participa do trabalho de artistas e parceiros como Sérgio Santos, Silvia Iriondo, Mônica Salmaso, Tatiana Parra e Antonio Loureiro. Atualmente tem realizado concertos como integrante do Egberto Gismonti Quarteto tocando acordeom.



A Orquestra Sinfônica de Minas Gerais foi declarada Patrimônio Histórico e Cultural do Estado de Minas Gerais. Em constante aprimoramento, cumpre o papel de difusora da música erudita na diversidade de sua atuação em óperas, concertos e apresentações na capital e interior do Estado. Além dos Concertos no Parque, Sinfônica ao Meio-dia e Sinfônica em Concerto, merece destaque o reconhecido programa Sinfônica Pop, que convida artistas da música popular brasileira para se apresentarem com a OSMG.

Seu atual regente titular é o maestro Silvio Viegas, antecedido por Wolfgang Groth, Sérgio Magnani, Carlos Alberto Pinto Fonseca, Aylton Escobar, Emílio de César, David Machado, Afrânio Lacerda, Holger Kolodziej, Charles Roussin, Roberto Tibiriçá e Marcelo Ramos.



Criado em 1979, o Coral Lírico de Minas Gerais interpreta repertório diversificado, incluindo motetos, óperas, oratórios e concertos sinfônico-corais. Além das temporadas de ópera, participa das Séries Lírico ao Meio-Dia, Lírico em Concerto, Lírico Sacro e Sarau no Café.

O Coral Lírico de Minas Gerais teve como regentes os maestros Luiz Aguiar, Marcos Thadeu Miranda Gomes, Carlos Alberto Pinto Fonseca, Ângela Pinto Coelho, Eliane Fajioli, Silvio Viegas, Charles Roussin, Afrânio Lacerda, Márcio Miranda Pontes, Lincoln Andrade, sendo Lara Tanaka sua atual regente.